Usamos cookies neste website para que você possa ter a melhor experiência. Ao continuar a utilizar este site, entendemos que está ciente disso.

Usamos cookies neste website para que você possa ter a melhor experiência. Ao continuar a utilizar este site, entendemos que está ciente disso.

Blog

Em maio de 2022, a Food and Drug Administration - agência reguladora de medicamentos dos EUA -  concedeu aprovação ao Dupixent para o tratamento de esofagite eosinofílica (EoE) em adultos e pacientes pediátricos com 12 anos ou mais - que pesem pelo menos 40 kg. Produzido sob a substância ativa dupilumab, o Dupixent é o primeiro medicamento aprovado pela FDA para um tratamento de EoE. De acordo com Jessica Lee, Diretora da Divisão de Gastroenterologia do Centro de Avaliação e Avaliação de Medicamentos da FDA, a aprovação concedida ao Dupixent tem o objetivo de combater o avanço de casos da doença.

Produzido sob a substância ativa osimertinib, o Tagrisso é um medicamento destinado ao tratamento de pacientes com câncer de pulmão de células não pequenas (NSCLC). Após uma bateria de estudos que comprovam a sua eficásia, o Tagrisso recebeu a aprovação da European Medicines Agency - órgão regulador de medicamentos para o tratamento de: células cancerosas têm mutações T790M e cujo câncer está avançado ou se espalhou; pacientes cujas células cancerosas apresentam mutações conhecidas como 'mutações de ativação' e cujo câncer está avançado ou se espalhou;  pacientes cujas células cancerosas apresentam alterações genéticas conhecidas como Ex19del ou L858R e cujo câncer não se espalhou para outros órgãos e foi completamente removido por cirurgia; pacientes cujas células cancerígenas apresentam certas mutações (alterações) num gene para uma proteína chamada EGFR (Receptor do fator de crescimento epidérmico).

Produzido sob a substância ativa enzalutamida, o Xtandi é um medicamento contra o câncer que é destinado para o tratamento de homens com tumores de próstata. Recomendado para quando o câncer é metastático, ou seja, quando se espalhou para outras partes do corpo, o medicamento foi aprovado pela European Medicines Agency, órgão regulador de medicamentos da União Europeia. Após uma série de estudos, ficou comprovado que o medicamento é dedicado aos casos em que o câncer foi resistente ao tratamento para diminuir a produção de testosterona ou após a remoção cirúrgica dos testículos, bem como em casos do tratamento com docetaxel não apresentar ou deixar de apresentar efeitos. De acordo com a agência, também é indicado quando a terapia hormonal não funcionou e o paciente ainda não precisa de quimioterapia.

Comercializado pela AstraZeneca, o Ultomiris recebeu a aprovação da Food And Drugs Administration, órgão regulador de medicamentos nos Estados Unidos, para o tratamento de adultos com miastenia gravis generalizada (gMG), uma doença neuromuscular rara, debilitante, crônica e autoimune que leva à perda da função muscular e fraqueza severa. O fato foi comemorado por Marc Dunoyer, CEO da Alexion, AstraZeneca Rare Disease, grupo da AstraZeneca focado em doenças raras.

Produzido sob a substância ativa atezolizumab, o Tecentriq recebeu a aprovação da European Medicines Agency, órgão regulador de medicamentos na União Europeia, para o tratamento de quatro tipos diferentes de câncer. Após uma série de testes, a agência europeia reconheceu a eficácia do medicamento para o tratatamento de pacientes com câncer urotelial (câncer da bexiga e do sistema urinário), câncer de pulmão, um tipo de câncer de mama conhecido como câncer de mama triplo negativo e carcinoma hepatocelular, um câncer que começa no fígado.

Destinado ao tratamento o tratamento de câncer de mama metastático HER2-positivo em pacientes adultas que foram previamente tratadas para sua doença metastática, o Margenza recebeu a aprovação da Food And Drugs Administration, órgão regulador de medicamentos dos Estados Unidos, após rigorosos testes. Comercializado em forma de injeção, o Margenza deve ser administrado por um profissional de saúde diretamente na veia, ou seja, por infusão intravenosa, a cada três semanas e em combinação com a quimioterapia.

A Food and Drug Administration (FDA), órgão regulador de medicamentos dos Estados Unidos, aprovou o Tepezza para o tratamento de adultos com doença ocular da tireoide. A condição rara, que faz com que os músculos e tecidos adiposos atrás do olho fiquem inflamados, provoca a proptose, ou seja, quando os olhos são empurrados para a frente. Produzido sob a substância ativa teprotumumab-trbw, o medicamento é o primeiro a receber a aprovação para o tratamento da doença ocular da tireoide.

A Food and Drug Administration concedeu aprovação acelerada ao Exkivity para o tratamento de pacientes adultos com câncer de pulmão de células não pequenas - localmente avançado ou metastático (NSCLC), com receptor do fator de crescimento epidérmico (EGFR) e mutações de inserção do exon 20 detectadas por teste. A aprovação ao medicamento é destinada aos casos onde a doença progrediu durante ou após a quimioterapia à base de platina.